O futuro garantido pelo Auxílio Emergencial

publicado: 16/12/2020 20h10,
última modificação: 16/12/2020 20h43

O sertão do Cariri é lugar de gente forte. Maria José Fidelis é a típica mulher dessa terra: batalhadora, guerreira e com um olhar altivo e esperançoso. Mora com o marido e os quatro filhos na zona rural de Cubati. Para a família dela, assim como para milhões de outras famílias, a pandemia trouxe muitas dificuldades e desafios.

“No início foi muito difícil”, relembra. “Meus filhos estavam estudando e como não tinha mais aulas e eu não tinha condições de colocar internet pra eles, pra continuarem com as aulas, ficaram sem”, conta. “Com a chegada do Auxílio eu pude botar internet e hoje eles podem assistir as aulas novamente”, celebra.

Mas o Auxílio proporcionou outras coisas para a família de Maria José. Com o recurso do Governo Federal ela pode comprar um garrote (boi) para ajudar com o trabalho na roça. “’ Eu comprei o garotinho por R$ 1.300 e menos de um mês já botaram R$ 1.600 nele e eu não vendi porque eu quero ele pra mim trabalhar na roça, pra mim ter com o que trabalhar e não estar pedindo aos outro”, enfatiza.

Maria se afeiçoou ao animal e está feliz e com esperança no futuro. “Eu vou ter um bicho pra eu cuidar, fazer roçado, porque tem muita coisa pra fazer roçado, milho, feijão, muita coisa que a gente planta no sítio e o ano passado eu não plantei porque não tinha com o que trabalhar e agora eu tenho”, conta orgulhosa.