Sumária Silva

publicado: 08/12/2020 20h18,
última modificação: 16/12/2020 20h45

A cidade de Aroeiras, no interior da Paraíba, assim como milhares de outras, foi fortemente impactada pela pandemia e pelo fechamento do comércio. A população do município, de cerca de 2,5 mil habitantes, ficou sem fontes de renda e muitas famílias recorreram ao Auxílio Emergencial para suprir suas necessidades básicas.

Sumária Silva, uma dona de casa da cidade soube do AE pela televisão e baixou o aplicativo e, com a ajuda de uma amiga, conseguiu fazer o seu cadastro. Como o marido, que trabalhava em um supermercado, havia ficado desempregado, o benefício foi a única renda da família no período.

“Eu não acreditei. Quando eu olhei que tinha sido aprovada, eu não acreditava”, lembra Sumária. “Foi uma bênção, ajudou bastante mesmo. Nesse primeiro pagamento mesmo em abril que eu recebi não tinha quase nada em casa pra comer. Quando eu tirei, fui no supermercado onde ele trabalha e fiz a feira lá. Tava faltando o leite da minha criança, as fraldas, tá servindo bastante”, conta aliviada.

Uma das grandes conquistas que o Auxílio permitiu à Sumária, no entanto, foi realizar um antigo sonho da filha. “A casinha aqui é pequena e minha menina não tinha um quartinho pra ela”, fala emocionada. “Aqui durante o dia é muito quente, mas à noite esfria muito e eu botava um lençol pra servir de parede e ela sempre reclamava que era muito frio”, recorda. “Então, com esse dinheiro que sobrou, eu consegui fazer uma paredinha pra ela e agora ela tem o quartinho dela “, comemora.